Sobre o Brasil

18 03 2011

BRASIL-SIL-SIL-SIL.

Aqui apenas se procuram motivo para roubar.

É um absurdo o que se faz nesse país e nem Ministério Público, nem demais órgãos reguladores e MUITO MENOS A OCUPANTE DO PRINCIPAL CARGO EXECUTIVO DESSE PAÍS, a excelentíssima Dilma Roussef.

Em 2005 foi construída uma arena de desportos aquáticos para o Rio de Janeiro para comportar o Panamericano. Naquelas milhões de mundiais de natação que há no Brasil todos os Domingos no Esporte Espetacular da Globo, não ouço uma só vez o nome do Maria Lenk.

Também em 2005 o Maracanã foi TOTALMENTE reformado para receber os jogos da mesma competição. Do ano passado para esse descobriram que vai precisar de uma nova reforma que custará mais de R$ 1 BI (!!!!!!!). Além disso, a marquise que deveria proteger a cabeça dos espectadores está CONDENADA!

Além disso, o Ministério dos Esportes liberou um troquinho agora para a reforma de 40 estádios ao redor  do nosso Brasil varonil. Entre eles está o Machadão, estádio natalense que SERÁ DEMOLIDO PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA ARENA.

Se gastou o que se gastou na reforma anterior e os torcedores passaram 4 anos correndo o risco de levar uma concretada na cabeça?

Se gastou o que se gastou na reforma anterior e OUTRA É NECESSÁRIA AGORA?

Querem gastar dinheiro em um estádio que será demolido?

Querem construir um estádio de nível europeu para Natal e sobre o qual os clubes locais já se pronunciaram sobre NÃO SER VIÁVEL UTILIZÁ-LO?

Como diz o outro, PAREI!

Brasil: corruptos governantes e omisso povo.





A falta de foco brasileira (ou ‘Que burro, dá zero para ele’)

21 02 2011

Na virada do ano de 2010 para 2011 o valor da passagem de ônibus metropolitano da cidade de Natal aumento 10%. Pulou de R$ 2,00 para R$ 2,20. Várias pessoas, obviamente, foram contra. Muitas por acharem o aumento realmente errado, outras tantas por não gostarem da atual prefeita de Natal e o resto (provavelmente a maioria) por nem entender os motivos nem as conseqüências disso. Algumas pessoas apenas gostam de um tumulto.

‘As pessoas foram às ruas fazer panelaço?’, você deve perguntar. ‘Foram protestar em frente à prefeitura, pressionando os dirigentes municipais a voltar atrás na decisão?’, um outro questionará.

Para ambos a resposta é ‘Não‘.

Talvez incentivados pela primeira ‘revolução digital’ no Egito (NOT), surgiram várias hashtags no Twitter lideradas pelo #foraMicarla. Dias depois surgiu o #flashmobdoaumento. O ‘flashmob do aumento’ foi um encontro de algumas pessoas no principal shopping da cidade e todos ostentavam narizes de palhaço na cara e deram uma volta por lá.

Bom, não tenho qualquer mestrado no assunto, mas isso para mim não é um flashmob. Isso é um flashmob.

E outra, pode até ser que essa ‘palhaçada’ (por causa dos narizes de palhaço, claro… ;D) seja um flash mob. Mas qual o efeito dessa calhordice na decisão de aumentar (ou não aumentar) o preço da passagem?

E, também válido salientar, esse ‘movimento’ foi ‘organizado’ por universitários e pessoas que se dizem da ‘elite intelectual’ natalense.

 

A inflação vem aumentando e as previsões do ógãos competentes corroboram com um aumento ainda maior até o fim do ano. Todos os derivados do petróleo vêm aumentando e só a gasolina aumentou R$ 0,10/litro aqui em Natal nessa semana.

O salário mínimo aumentou e ainda havia paspalhos de sindicatos protestando por salários maiores.

 

Matéria-prima aumenta, amigos. E, pior ainda, quando o salário mínimo aumenta a quantidade de dinheiro circulando aumenta, aumentando assim, a inflação. E, além disso, aumentam, logicamente os custos para os empresários.

Não vi ninguém protestando contra esse aumento do salário mínimo. Ele traz consequências, como falei.

 

Não vi ninguém protestando na porta da Câmara após o aumento do salário dos deputados (e mais uma hashtag no Twitter NÃO vale), pelo menos na efusivamente. Não vi ninguém protestando na porta da governadoria do Rio de Janeiro enquanto o orçamento para a reforma do Maracanã (que foi reformando há 3 anos) vai alcançando R$ 1 bi de DINHEIRO PÚBLICO (nada de ruim aconteceu naquele estado nesse ano, certo?). E, para trazer para uma realidade local, não vi ninguém na porta da governadoria do Rio Grande do Norte protestando contra o altíssimo ICMS praticado pelo estado e que encarece absurdamente todos os produtos que entram aqui (além de, claro, outros tributos).

 

Será que algum dia teremos uma população que sabe o que fala e uma (que se diz) elite intelectual parando de fazer aseneiras por aí?





Futebol moderno

14 02 2011

Hoje se escreve um novo capítulo do futebol moderno: Ronaldo irá parar de jogar.

Um jogador fantástico, em todos os sentidos que se possa ter: tanto ele jogou muita bola, como foi protagonista de histórias cabeludas no programa dominical da Rede Globo.

Mas, por melhor que ele tenha jogado, a hora de parar chega para todos. O corpo pára de responder ao que a mente pensa. E mesmo quando responde, não o faz como fazia antigamente. Um time que não coopera desgasta o jogador e uma torcida esteriotipada não só pelos adversários, mas por um grupo de “torcedores” que parece fazer questão de ser taxada de marginal, inibe qualquer tentativa de recuperação.

Confesso que nunca fui o maior fã de Ronaldo, mas adoro história e sei respeitar quem a tem. Dei muita risada com suas pataquadas, mas respeito deve ser devido quem merece.

Além disso, o mesmo grupo de marginais expulsou o brilhante Roberto Carlos do clube. Desse sim sou fã. Excelente tanto fisicamente quanto tecnicamente. Sabia atacar e defender com maestria. Foi um vencedor enquanto defendeu as cores do meu verdão (Palmeiras, não o Alecrim) e fora do país. Infelizmente não conseguiu repetir os títulos no “Curintxia”, mesmo jogando demais no ano passado.

Times amargam má fases, mesmo tendo torcidas enormes e que poderiam render ótimo faturamento. Times de futebol são pessoas jurídicas que não se acabarão. Têm uma estabilidade financeira praticamente garantida pelos governos, principalmente os times antigos e com mais tradição.

Não que gestão esportiva seja fácil. Com certeza não é. Mas também é um lugar onde se pode fazer grandes trabalhos e realmente se fazer a diferença para uma massa.

 

Os esportes hoje substituem, em boa parte, as religiões em seus formatos antigos. As pessoas sentem a necessidade de fazer parte de um grupo. Os estádios são frequentados enquanto mesquitas e igrejas esvaziam. E hoje, um grande pastor do futebol se aposenta.

 

E, só para não perder o costume, o banco do “Curintxia” terá beeeem mais espaço agora…





Tédio Rotineiro [3]

12 02 2011

E o dia cumpriu o que prometeu. Tudo deu errado.

Nossa personagem começa a se perguntar se o infinito cósmico universal não conspira contra ele. Logo desistiu desse pensamento. Lembrou que é cético.

No final da tarde, ao retornar para casa, ficou pensando qual é o problema com coceira nas costas das pessoas. ELAS ANDAM! Reparou que nunca você termina coçando as costas de uma pessoa no mesmo lugar que começou? Pois isso o atormentava.

Várias vezes se pegava pensando nisso e nesse tipo de coisa. Muito relevantes, segundo ele.

Depois de fazer tudo que tinha que fazer, foi dormir. Falou em voz alta (já que não crê que haja alguém “lá em cima” para escutar) “que o dia amanhã não seja igual a hoje”. Mas foi. Tão ruim quanto. E, para piorar as coisas, pensava em como joaninhas poderiam impor respeito no mundo animal se até o nome era de menina. Talvez seja isso, o nome de menina.

Deu de ombros.

Talvez isso não fosse tão relevante realmente. Passou a prestar mais atenção ao trânsito. Malditos motoristas. “Todo mundo dirige mal, menos eu.” Se pelo menos as pessoas soubessem as leis de trânsito o mundo seria um lugar melhor… Isso! A solução do mundo passa pela direção correta. Fazer uma campanha de coscientização para que todos dirijam bem parece uma boa idéia.

Não…

Muito trabalho. Céticos são solitários. Se esses calhordas não aprenderam a dirigir, que se virem.

Nada poderia fazer o dia um pouco pior do que uma boa lata de sardinha no tomate. SÓ TEM COM LIMÃO! Maldita mania de comprar 2 latas para provar. E agora? Resolveu comer. O que de pior poderia ocorrer agora?

A TV é uma aprelho fantástico. Pena que não presta para nada. Apresentadores gostam de dizer a pessoas no que acreditar e autores de novelas o que sentir.

Afinal, na TV há apenas efeitos especiais?





Tédio Rotineiro [2]

10 02 2011

Esqueci de falar que nosso filme ganhará um Oscar.
Não de fotografia, claro. Não de melhor ator. A Academia não liga para filmes assim. Muito menos de melhor trilha sonora.
Ganharemos o Oscar de melhor filme estrangeiro.
Venceremos um filme espanhol sobre camponeses sobrevivendo meio à miséria. Um filme indiano que mostra a realidade dos cristões no país e um filme argentino sobre a ditadura local.

O nosso caso de sucesso será acompanhado de um “What the HELL?!” pelos estadunidenses. Um “Mas que DIABOS?!” pelos brasileiros e várias expressões semelhantes ao redor do mundo. Um filme assim não deveria ganhar um Oscar. Mas ganhará. Ponto.

 

Nossa personagem acordou hoje (novo RÁ!) e o primeiro pensamento que veio à mente foi “Putz! Meu remédio para o joelho!”
É válido salientar que nossa personagem é um homem. Praticou esportes por toda a sua vida e esses esportes marcaram não só a psiquê de nossa personagem, mas também todos os seus tendões e ligamentos. Hoje se contenta em assistir a esportes pela TV e a, como qualquer ser humano, pagar 3 meses de academia, frequentar a primeira semana e meia e faltar o resto do tempo.

Não que ele queira, lógico. É algo natural. Instintivo. Está no código genético humano.

Esqueci de comentar que ele acredita nas coisas quando lhe são convenientes. Outro traço genético, comenta.

Toma seu remédio e se arruma para o trabalho. “PUTZ! A roupa na lavanderia!”. Talvez o remédio para o joelho pudesse vir acompanhado de um para a memória.

 

Comentei que o filme terá todos os palavrões, não? O pudor ao qual me submeto não existirá no filme, afinal podemos botar um selo “CRIANÇAS NÃO!” ou qualquer coisa parecida com isso. Nada de “Putz” ou “Caramba”.

 

A rotina começa com um belo café da manhã. Tudo que tem direito incluso… Onde está o sucrilhos?! Está sentindo. Hoje será um dia daqueles…





Tédio Rotineiro [1]

9 02 2011

Enquanto pensava nesse texto hoje, imaginei-o virando um livro.

Depois do livro ele viraria um filme. Um daqueles filmes que tem um personagem principal (RÁ!) e que tudo gira em torno dele e o que acontece na rotina dele. Haveria um narrador. Possivelmente algum ator bem conhecido. Podendo ou não ser o mesmo que atua como personagem principal.

Tudo começa com uma pessoa entendiada. Ela escreve sobre seu dia ao mesmo tempo que assiste ao um jogo de futebol qualquer na TV. Nossa personagem gosta de futebol. Tem um time favorito, mas gosta de futebol em geral. Bons times lhe fazem assistir a jogos, mesmo que seu time predileto não esteja jogando.

Talvez a característica mais marcante é que nossa personagem é cética. Até que lhe provem o contrário, lógico.

É cética em relação a tudo: não crê em religião, nem vida em outros planetas, nem em conspirações que fazem os EUA terem todo o petróleo do mundo e nem em livros de auto-ajuda. E essa falta de crença em qualquer coisa possivelmente leve nossa personagem a levar a vida que leva e sentir o que sente.

Possui hábitos definidos e que procura seguir, possivelmente querendo ter algo a que se agarrar para que não fique louco, já que não há seres superiores a quem se segurar nem a esperança que Keanu Reeves desça dos céus e faça a humanidade melhorar.

Seu sabor de sardinha enlatada favorito é o com molho de tomate.

Recentemente provou a com sabor de limão. Achou simplesmente uma das piores coisas do mundo. Tem gosto de biscoito wafer de limão. E, convenhamos, comer sardinha com sabor de biscoito wafer de limão não deve ser das coisas mais agradáveis do mundo.

 

Não se sabe até onde a rotina da nossa personagem irá nos levar. Suponhemos…





Sem vontade de escrever

11 01 2011

 

Imagem de Jesus Manero.

 

 

Meu twitter: @italoas.

Logo posto alguma coisa de futuro. Até.